top of page

Defesa das instituições marca 44ª edição do Programa Nossa História



Ato cívico na Câmara contou com representantes do Exército, Junta Militar e Sociedade MMDC

“É preciso retomar e valorizar as instituições”. A frase do 1º Secretário da Mesa Diretora da Câmara de Osasco e presidente da Frente Parlamentar Nossa História, vereador Rogério Santos (PL), sintetiza a 44ª edição do Programa Nossa História, realizada na manhã desta quinta-feira (7). A tradicional cerimônia de hasteamento das bandeiras do Brasil, do estado de São Paulo e da cidade de Osasco, realizada semanalmente pelo Legislativo osasquense, reuniu representantes do Exército Brasileiro, da Junta Militar de Osasco, da Sociedade MMDC, da Guarda Civil Municipal de Osasco, da Juventude Cívica de Osasco (JUCO), além de servidores públicos e dos vereadores Rogério Santos, Josias da Juco (PSD) e Ana Paula Rossi (PL). Participaram do ato de hasteamento o comandante do 4º Batalhão de Infantaria Mecanizada, tenente-coronel Wiliam Rodrigues Ochsendorf e Souza (bandeira do Brasil); o presidente do Conselho Deliberativo da Sociedade Veteranos de 32 - MMDC; o coronel da reserva da Polícia Militar de São Paulo, Antônio Carlos Mendes (bandeira do estado de São Paulo); e o chefe da Junta de Serviços Militar de Osasco, Francisco Chagas Lima (bandeira de Osasco). O primeiro a discursar foi Chagas Lima, que recordou os 40 anos de atuação na Junta Militar em Osasco. “Este é um momento especial. Foram muitas alegrias e conquistas vividas. Se fosse preciso recomeçar, eu não hesitaria em atender a tão nobre chamado do Exército Brasileiro, a maior escola de civismo e patriotismo do país”, disse, emocionado.

Revolução Constitucionalista Em seguida, o coronel Antônio Carlos Mendes falou sobre os 90 anos da Revolução Constitucionalista de 1932 – data a ser comemorada no próximo sábado, 9 de julho. Mendes contextualizou os participantes sobre a importância do Movimento de 32, que reuniu representantes de São Paulo, Mato Grosso e Rio Grande do Sul contra a ditadura instalada por Getúlio Vargas em 1930. O militar lembrou ainda a luta de Martins, Miragaia, Dráuzio e Camargo, jovens paulistas que morreram pela causa constitucionalista em 23 de maio de 1932, dando origem à sigla MMDC. “Completamos 90 anos da Revolução de 32. Perdemos a guerra, mas ganhamos na moral, no ideal”, afirmou. Segundo ele, graças aos paulistas, brasileiros e estrangeiros que participaram do movimento, em 1934 o Brasil ganhou uma nova e democrática Constituição Federal, que concedeu às mulheres o direito ao voto.

Defesa das Instituições Os vereadores Rogério Santos e Josias da Juco defenderam o fortalecimento das instituições no Brasil. “Os países são conhecidos pelos seus heróis, que não nascem do nada, mas surgem a partir das instituições”, afirmou Santos. Dentre as instituições que formam os cidadãos, Rogério Santos citou a familiar, a educacional, além das forças de segurança — como Exército e Política Militar — e políticas — como as casas de legislativas e o Poder Executivo. O vereador defendeu a retomada da valorização das instituições que, de acordo com ele, vêm sofrendo ataques ideológicos, que refutam a importância dessas entidades. Compartilhando da mesma linha de raciocínio, o Josias da Juco agradeceu a presença das forças de segurança que participaram do ato cívico e defendeu a valorização dessas instituições. “Precisamos valorizar e respeitar, mas infelizmente muitas pessoas preferem falar mal das instituições que cuidam e zelam da sociedade”, concluiu. O Programa Nossa História é uma realização da Câmara Municipal de Osasco, por meio da Frente Parlamentar Nossa História. Os atos cívicos de hasteamento de bandeiras acontecem sempre às quintas-feiras, a partir das 8 horas, no Dispositivo da Câmara Municipal.


1 visualização
bottom of page