top of page

Prefeitura e USP lançam Cartilha Família Acolhedora - Canguru



O Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora – Canguru, da Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Osasco, lançou uma publicação que apresenta um conteúdo vasto, com abordagens do programa e depoimentos das famílias acolhedoras do município. O conteúdo é voltado ao público em geral e interessados em ser voluntários no acolhimento provisório de crianças e adolescentes que judicialmente precisaram ser afastados de suas famílias de origem.

O lançamento do material, elaborado pela Secretaria de Assistência Social em parceria com o Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (USP), aconteceu no dia 4/3, na Livraria Saraiva do SuperShopping Osasco e contou com autógrafos das responsáveis pela publicação, denominada Cartilha: Acolhimento de Crianças e Adolescentes em Famílias Acolhedoras: a experiência do município de Osasco.

O evento contou ainda com a presença de autoridades locais, entre eles o secretário de Transporte e Mobilidade Urbana, Lau Alencar, os vereadores Elsa Oliveira e Josias da Juco, a diretora do Departamento de Proteção Social Especial, Danielle Bueno, e o secretário de Assistência Social, José Carlos Vido, convidados, entre outros.

Fazem parte dessa realização Adrielly Darcanchy, psicóloga e coordenadora do SFA Canguru, Valquíria De Conto e Carolina Pamplona Salomon, assistentes Sociais do SFA Canguru, e a professora Dra. Adriana Marcondes, docente do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo.

Também contribuíram para a elaboração do conteúdo da cartilha as famílias acolhedoras, membros da Vara da Infância e Juventude de Osasco, Promotoria da Infância e Juventude de Osasco e Defensoria Pública do Estado de São Paulo - unidade Osasco.

A Prof. Dra. Adriana Marcondes Machado, do Instituto de Psicologia da USP, disse que "o serviço Família Acolhedora realizado em Osasco é uma iniciativa que deve compor com políticas públicas de saúde, educação, cultura e trabalho que garantam o direito à vida digna a todas as crianças e adolescentes. Trata-se, portanto, de um serviço que depende do fortalecimento de uma rede protetiva em que as famílias acolhedoras passam a fazer parte”, finaliza.

A coordenadora do SFA, Andrielly Darcanchy, falou do processo de construção do material e do início do serviço na cidade. "Construir essa cartilha envolveu um processo muito significativo. O Canguru - Serviço de Acolhimento em Famílias Acolhedoras de Osasco foi inaugurado apenas quatro meses antes do início da pandemia no Brasil. Isso teve vários impactos negativos na sua fase inicial de implantação. Mas, seguimos firmes, nos desdobrando para propiciar o crescimento desse SFA, porque acreditamos no imenso potencial dessa modalidade de acolhimento”, reforçou.

O secretário de Assistência Social, José Carlos Vido, destacou que “o programa Família Acolhedora de Osasco foi selecionado pela USP entre muitos programas do estado de São Paulo para servir de modelo e levar treinamento e capacitação para outros municípios que também querem implantar o mesmo programa. É uma honra para Osasco ter o nosso programa servindo como modelo e uma oportunidade de difundir o serviço”.

“Queremos estimular nossos munícipes a conhecerem a qualidade do Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora e ampliar a adesão para deixarmos de ter menores em espaços de institucionalização e que sejam acolhidos em ambiente familiar, que é o que precisam. Com certeza esse serviço fará a diferença na vida dessas nossas crianças e adolescentes”, concluiu Vido.

O programa

O Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora - Canguru foi implementado pela Prefeitura de Osasco em 2019, por meio da Lei nº 4.927/2018, e regulamentado pelo decreto nº 11.936/2019 e visa fornecer cuidado individualizado a crianças e adolescentes que precisaram ser afastados de suas famílias de origem por decisão judicial. Esses menores vão morar na casa da Família Acolhedora até que possam ir para uma família de forma definitiva, seja o retorno à família de origem ou extensa (tios, avós etc) ou adoção.

Até hoje, segundo a SAS, o Serviço já formou 31 famílias acolhedoras e realizou 54 acolhimentos de crianças e adolescentes, inclusive com questões graves de saúde física e mental, além de grupos de irmãos, destacando-se como um trabalho transformador na vida de quem acolhe e de quem é acolhido.

A cartilha nasce da construção coletiva entre os diversos atores do Sistema de Garantia de Direitos às Crianças e Adolescentes, como a administração pública, a equipe de técnicos do Família Acolhedora Canguru, as próprias famílias acolhedoras e o judiciário para, além de valorizar a história de vida desses menores, promover a troca de informações, expandir o conhecimento desse serviço e saber o que há por trás de todo o processo do Serviço de Acolhimento em Família Acolhedora, por exemplo.

Serviço

Alguns requisitos para ser uma família acolhedora: ser residente de Osasco ou municípios vizinhos; ser maior de 25 anos e que não tenha interesse de adotar; ter boas condições de saúde, renda familiar, entre outros. Para mais informações ligue (11) 9 9689-6568 (whatsApp) ou mande e-mail no familiacanguru.sas@osasco.sp.gov.br.

Para saber mais sobre o programa acesse: http://familiacanguru.osasco.sp.gov.br

9 visualizações

Comments


bottom of page